Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Limping Mackerel

The Limping Mackerel

03
Set20

Gerações

A minha geração aprendeu uma realidade com os seus pais, e cresceu para viver outra realidade completamente diferente. Sinto-me traído por ter feito escolhas com base no que me foi ensinado, no que me ainda é vendido como a maneira correcta de ter sucesso e felicidade.

Antes trabalhei para ter trabalho seguro numa área de interesse, depois trabalhei para ter trabalho seguro, e agora trabalho com esperança de ter recibos verdes um dia. A única coisa que me dá esperança é... nada. A esperança está morta e apenas restam planos de contingência. 

02
Set20

Gordas e magras

Neste verão a Porta dos Fundos removeu um vídeo e refez o mesmo, mudando um actor. Porquê? Porque associar obesidade a pior saúde é gordofóbico. Até me sinto mal por escrever sobre esta situação absurda. Um grupo de comédia pede desculpa e refaz uma rábula por gozar com pessoas gordas. Mas que ano é este?

Entendo que o peso é um assunto delicado para as mulheres. Lembro-me dos anos 90 e das suas Anas e Mias. Tenho em casa uma irmã que toda a vida teve auto-estima baixa e vergonha do seu corpo por não corresponder às capas de revista. É angustiante crescer constantemente com ideais rígidos e impossíveis de beleza. Os movimentos de aceitação do corpo como ele é, com gordura e estrias e pêlos e outras marcas que são constantemente apagadas nos media, são uma lufada de ar fresco. Acredito e defendo que as pessoas devem se sentir bem com o seu corpo, que este conforme ou não com os ideais de beleza estabelecidos pela sociedade. O corpo e a saúde são os nossos bens mais preciosos, e devem ser amados e respeitados. 

Sei também que o corpo natural da mulher é algo ainda inaceitável para uma parte da população. Nestas férias sempre que abria o telemóvel era bombardeado por notícias de mulheres famosas que expuseram o seu corpo nas redes sociais sem filtros e foram ridicularizadas por isso. (Isto agora foi um bocado deprimente de escrever, mas pronto, já se sabe que comentários em redes sociais reflectem o pior das pessoas.)

Agora, de aceitar os corpos como eles são a negar que a obesidade não se correlaciona com riscos para a saúde vai um grande salto. Honestamente, a defesa da obesidade (quase mórbida) como algo normal e saudável é horrendo, ignorante e francamente egoísta. Está a par de dizer que fumar é sensual, que apanhar bebedeiras todas as noites é fixe, que comer comida de plástico é a opção mais glamorosa.

A obesidade é um factor de risco para inúmeras doenças, sendo uma delas a covid-19. Uma pessoa gorda não é doente, mas tem um risco maior de ficar doente. O aumento de doenças cardiovasculares nas últimas décadas não surgiu do ar, mas sim da alteração dos hábitos de vida, com pior alimentação e maior sedentarismo. A maior parte dos casos de diabetes devem-se à alimentação, não a componentes genéticos imutáveis.

E essa é outra coisa que é mal interpretada. A obesidade é influenciada por factores genéticos, não causada. Cada pessoa tem o seu corpo e o seu metabolismo, e 2 pessoas com dietas e actividades semelhantes vão ter 2 corpos diferentes. Mas uma pessoa que coma pouco não vai ficar do tamanho da Tess Holiday (como é que alguém pode olhar para esta mulher e dizer que o corpo dela é normal? ela está 2 refeições de visitar o Dr. Nowzaradan). 

Os nossos genes influenciam todos os aspectos de quem nós somos, desde a nossa altura até ao nosso temperamento. Quanto mais se estuda o nosso genoma, mais parece que não temos poder nenhum sobre quem somos. Mas eles são uma influencia, não uma sentença. Eles fazem com algumas pessoas acumulem gordura mais facilmente; eles influenciam o auto-controlo, o apetite, os gostos, e uma alteração para hábitos de vida mais saudáveis pode ser mais fácil ou difícil por causa deles. Mas eles são apenas um factor de uma grande equação. 

É difícil para algumas pessoas admitir, mas se são gordas é porque comem mais calorias do que gastam. Podem é não ter noção de como as estão a comer. Produtos que se dizem light e saudáveis nem sempre o são, e é preciso ler bem os rótulos para saber o que se está a comer. Ora, a maior parte das pessoas nem sequer sabe o que deve comer (e em que quantidades). Mesmo que saibam as regras de uma alimentação saudável, ler todos os rótulos e contar todas as calorias é missão (quase) impossível para uma pessoa normal com vida ocupada (eu sei que tentei). Não sabemos o que estamos a comer quando vamos a um restaurante, a casa de familiares ou amigos.

Para terminar, ainda vou ser mau: uma mulher de peso normal dizer que a gordura é algo a defender, ou é (muito) estúpida ou maliciosa. Há sempre alguém num grupo de amigas que gosta de se sentir bem à custa das feias, gordas ou mal-vestidas, e tenho a certeza que metade das mulheres que apoiam as gordas a ter orgulho dos seus pneus as usam como #thinspo. A mim não me enganam, Mean Girls.

"Não amiga, não estás nada gorda ora essa, é perfeitamente normal ter 3 queixos."

"Ai 'miga, estás a arrasar com esse crop-top que deixa o teu avental de fora. #HAES #fatabulous #bopo"

"Não, o chocolate não engorda, achas?" (

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D